sábado, dezembro 15, 2012

Justiça seja feita

Sindicalista demitido pelo jornal O Povo é reintegrado por ordem judicial

Sindicalista demitido pelo jornal O Povo é reintegrado por ordem judicial
Uma queima de fogos marcou a reintegração do repórter-fotográfico, diretor do Sindicato dos Jornalistas do Ceará, aos quadros do jornal O Povo na quarta-feira (12), por determinação da Justiça do Trabalho. A manifestação dos dirigentes sindicais e jornalistas foi acompanhada por forte segurança armada do jornal.





Evilázio Bezerra foi demitido em 2010, logo após o jornal tomar conhecimento da candidatura dele à diretoria do Sindjorce. O Tribunal Regional do Trabalho (TRT/7ª Região) determinou, além da reintegração, que o jornal O Povo pague todos os salários atrasados e demais direitos de Evilázio Bezerra da data da demissão até hoje. Ele continuará recebendo o mesmo salário e trabalhando no mesmo horário e função.

O mandado judicial de reintegração foi entregue por uma Oficial de Justiça ao chefe de Recursos Humanos da empresa, Marcos Gondim, determinando o retorno imediato do jornalista às suas funções. Mas o jornal não autorizou a entrada na empresa da presidente em exercício do Sindjorce, Samira de Castro, e da diretora Déborah Lima, 1ª tesoureira da FENAJ. “Você pode”, disse Marcos Gondim para Evilázio. “Mas os outros não, porque tem que mandar ofício para a chefia da redação”, completou.

Dirigentes sindicais e jornalistas comomoraram a reintegração do repórter fotográfico com uma manifestação na calçada do prédio com carro de som e uma bateria de fogos de artifício. Nem mesmo a segurança armada acionada pelo jornal para “acompanhar” a manifestação dos trabalhadores conseguiu tirar o brilho da comemoração. “Não nos intimidaremos com a presença de seguranças”, afirmou a presidente em exercício do Sindicato dos Jornalistas do Ceará, Samira de Castro. “Os jornais precisam entender que prática antissindical é crime contra a organização dos trabalhadores", destacou.

Quatro vítimas de práticas antissindicais
Integrante do ranking dos 200 jornalistas mais premiados de todos os tempos, segundo o site Jornalistas & CIA, Evilázio renovou o compromisso com os colegas de Redação de defendê-los dentro e fora do jornal. “Muito mais importante do que ganhar prêmios, é lutar pela categoria. Contem comigo sempre”, disse aos colegas.

Durante o ato, o presidente do Sintigrace lembrou que Evilázio não é a única vítima de perseguição política pelo jornal O Povo. Rogério Andrade citou a demissão ilegal do diretor da entidade, Juarez Alves, um dos líderes da greve conjunta de jornalistas e gráficos em 2009.

Além de Juarez e Evilázio, também foram afastados da Redação do O Povo os sindicalistas Mirton Peixoto e Déborah Lima. “O único objetivo das demissões ilegais e afastamentos compulsórios de sindicalistas é inviabilizar a organização dos jornalistas na redação e dos gráficos na oficina do jornal”, avalia Déborah Lima. “Mas eles não conseguirão nos vergar”, afirmou.

Com informações do Sindjorce

Fonte: FENAJ 

Um comentário:

Jorge Braun Braun disse...

Esse cabra ai EVILÁSIO BEZERRA é meu sobrinho , filho de minha irmã ANA MARIA , cabra bommmmmmm