segunda-feira, novembro 30, 2009

Jornalista tem um piripaque na inauguração da UPA

O repórter cinematográfico Gleilson Miranda foi a primeira pessoa a ser atendida na nova unidade de pronto atendimento “UPA” localizada no segundo distrito da capital acreana. Até o governador Binho Marques foi ver como o jornalista estava. Na verdade, Gleilson passou mal por conta de um mal estar, ou seja, teve um famoso passamento. Foi uma correria só, até outro jornalista, que por motivos óbvios não será revelado o nome da peça rara, quis fazer uma respiração boca a boca no fotógrafo. Não sei se aconteceu esse procedimento de emergência, mas que rolou vacovaco na hora do passamento rolou.
As fotos são de nossa querida Celis da TV Aldeia.




Uma vez Flamengo, sempre Flamengo

Um bom flamenguista tem que ter o seu próprio kit mengão. Um deles, entre milhões, bilhões ou até trilhões de rubro negros, pois se existe vida fora do planeta Terra esses extraterrestres são flamenguistas, o jornalista Adailson Oliveira já anda com seu kit mengão para onde quer que vá. Aqui podemos ver o jornalista na redação da TV Gazeta com seus equipamentos obrigatórios da provável equipe campeã do campeonato brasileiro de 2009 e que só depende dele mesmo para ser possível o sexto título nacional.

O caderno para fazer textos incríveis, pois com essa capa a pessoa tem um brilhantismo a mais para escrever.


Uma camisa e um par de meias para colocar por sobre o televisor antes de começar a partida.

Um par de sandálias para esmagar os adversários como baratas.

Uma bandeira se cobrir com o manto sagrado e uma toalha para se enxugar do banho de cerveja que vai tomar quando o Flamengo for campeão.

E depois, colocar tudo perto de você para que todos possam ver a pessoa campeã que você é e saiba que o Flamengo é o time mais lindo do mundo.

quinta-feira, novembro 26, 2009

Trabalhar da um sono!

Às vezes trabalhar na câmara municipal de Rio Branco da um sono. Tem dias que a sessão é tão devagar que até os repórteres cinematográficos ficam pescando traíra na sala de reuniões enquanto esperam os vereadores para as entrevistas aos órgãos de comunicação da cidade. Que diga Antonio Lisboa, ou se preferir, Michael Jackson para os íntimos, quase dormiu encostado em sua câmera cinematográfica esperando os vereadores.


quarta-feira, novembro 25, 2009

Diploma de jornalismo

MTE não abre mão de controlar registro profissional. PEC 33 está na pauta no Senado


Em reunião com representantes sindicais de jornalistas na terça-feira (24/11), o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, afirmou que o Ministério não abre mão do controle sobre registros profissionais. A PEC dos Jornalistas volta à pauta da CCJC do Senado nesta quarta-feira (25). Empenhada, juntamente com o autor e o relator da matéria, em buscar a imediata votação da proposta, a Federação pede mais esforços na sensibilização dos membros da Comissão. Participaram da reunião com o ministro do trabalho além de Sérgio Murillo de Andrade e José Carlos Torves, diretores da FENAJ, os presidentes dos Sindicatos dos Jornalistas de São Paulo, Município do Rio de Janeiro, Ceará e Distrito Federal. O ministro Carlos Lupi reafirmou que o controle sobre registros profissionais é prerrogativa do Poder Executivo do qual o MTE não abre mão. Reafirmou, também, o entendimento de que o Jornalismo é uma profissão cuja regulamentação está em vigor. “O que o STF revogou foi um dos itens da regulamentação”, disse. Questionados sobre quais critérios serão utilizados para a expedição do registro de Jornalista, Lupi garantiu que o MTE utilizará parâmetros. “Mas eles ainda não estão definidos, pois não há uma posição consolidada tanto de nossa assessoria jurídica, quanto da Advocacia Geral da União sobre a questão”, informou. Nova reunião entre o ministro e representantes da FENAJ e Sindicatos de Jornalistas deve acontecer dia 15 de dezembro. O ministro assegurou que não serão adotados parâmetros para a expedição de registro profissional sem que as entidades sindicais dos jornalistas sejam ouvidas. PEC no SenadoA PEC 33/09, de autoria do senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE), está incluída na pauta da sessão da Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC) do Senado desta quarta-feira (25). O autor e o relator da matéria, o senador Inácio Arruda (PCdoB/CE), esforçam-se, juntamente com dirigentes sindicais dos jornalistas, para que ela seja votada imediatamente. Levantamento que consta no site da FENAJ registra o “placar” de 27 parlamentares a favor, dois contra e 17 em dúvida em relação à PEC dos Jornalistas entre os senadores titulares e suplentes da CCJC. Teme-se, no entanto, além da pressão empresarial sobre os senadores, as manobras regimentais para protelar a votação. Dirigentes da FENAJ e de Sindicatos de Jornalistas acompanham a sessão da CCJC nesta quarta-feira. E pedem que os apoiadores do movimento em defesa do diploma façam novos esforços de sensibilização dos senadores. Para envio de mensagens, a lista dos integrantes da Comissão está disponível aqui.
Fonte: FENAJ

terça-feira, novembro 24, 2009

Brincando de boneca

A jornalista Nayanne Santana brinca com uma boneca feliz da vida. Será que ela está planejando ter uma de verdade?

quinta-feira, novembro 19, 2009

Livro de Odair Leal será lançado na próxima terça-feira, 24

O lançamento do livro “Sem Terras na Amazônia”, programado para o dia 10 passado, acabou sendo atropelado por uma viagem imprevista do autor, o fotógrafo Odair Leal. Agora, porém, ele garante aos amigos e admiradores da arte fotográfica uma boa recepção na próxima terça-feira, 24, no hall da Aleac. “A data anterior coincidiu com a realização do Programa Assembleia Aberta em Marechal Thaumaturgo e Porto Walter, no Vale do Juruá”, desculpa-se, referindo-se ao seu trabalho atual como repórter-fotográfico da Assembleia Legislativa do Acre.
O livro "Sem Terras na Amazônia" reúne, em 56 páginas, 108 fotos em preto-e-branco que retratam a história de pessoas que lutam por um pedaço de terra na Amazônia. Atuando como profissional há nove anos, Odair Leal dedica-se ao livro desde 2007. Inicialmente, tentou publicá-lo através da Lei de Incentivo à Cultura, mas nunca conseguiu passar pelo crivo dos selecionadores.
Decidiu, então, aplicar todas as suas economias na edição e na impressão em uma gráfica do interior de São Paulo. Acredita que, com as vendas, poderá recuperar o capital e reinvesti-lo em outro livro com a temática amazônica, mas menos dramático. “Com os sem-terra eu quis mostrar a contradição de termos um território tão gigante e ainda haver gente brigando por um pedaço de terra”, contou. “No próximo vou contar sobre o outro lado”, revelou enigmático.
Odair Leal já colaborou com os jornais Folha de S. Paulo, Valor Econômico, O Dia, O Paraná, Correio Braziliense, A Crítica, Diário do Amazonas e Washington Post (EUA). Tem fotos publicadas nas revistas Veja, Época e Sentidos. Atualmente é parceiro da Folhapress.
Material de divulgação do livro Sem-terras na Amazônia
de Odair leal




Comunicado Sinjac

Caros colegas... já começou a contagem regressiva para o encerramento das inscrições do Prêmio Chalub Leite:

FALTAM APENAS 12 DIAS ...

Venha até o Sindicato fazer sua inscrição e aproveite o desconto que o Sinjac está dando para os associados que estão com suas mensalidades pendentes.

Agora você também pode pagar no Cartão Visa.

E para os associados com suas mensalidades em dia, será sorteado uma passagem ida e volta para o Rio de Janeiro...
-- Marcos Vicentti - Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre - Sinjac (68) 9991-0076/(68) 3223-7418

Em defesa do diploma

FENAJ pedirá esclarecimentos sobre decisão do STF contra o diploma



Retirada da pauta da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado desta quarta-feira, a PEC 33/09, que reinstitui a exigência de diploma para o exercício do Jornalismo, irá à votação no dia 25 de novembro. A FENAJ entrará com embargos declaratórios até sexta-feira (20) sobre o acórdão com a decisão do STF. Para a próxima semana, a FENAJ se reunirá com a Frente Parlamentar em Defesa do Diploma para tratar da tramitação das PECs no Congresso Nacional, e com o ministro do Trabalho, Carlos Luppi, para abordar procedimentos quanto à emissão do registro profissional. Incluída na pauta da CCJC desta quarta-feira, a PEC 33/09 foi retirada por solicitação de seu autor, o senador Antônio Carlos Valadares (PSB/SE). A matéria voltará à pauta no dia 25 de novembro. Valadares considerou que na sessão da próxima semana haverá condições mais favoráveis para a aprovação da PEC.Também na próxima semana a FENAJ se reunirá com a Frente Parlamentar em Defesa do Diploma e com os proponentes das propostas que tramitam na Câmara e no Senado. Um dos objetivos é discutir a composição da Comissão Especial a ser criada para agilizar a tramitação das matérias e buscar junto ao presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB/SP), sua instalação. Na reunião será discutida, também, a possibilidade de fusão das duas propostas para que possam ser analisadas e votadas em sessão conjunta da Câmara e Senado. Excessos e omissões nesta segunda-feira dirigentes da FENAJ e do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo reuniram-se com o advogado João Roberto Pizza Fontes, que representa as duas entidades junto ao STF. Com a publicação do acórdão sobre a decisão do STF na semana passada, expira nesta sexta-feira (20) o prazo de cinco dias para apresentação de embargos. Sérgio Murillo de Andrade, presidente da FENAJ, adianta que as entidades farão vários pedidos de esclarecimentos, pois em sua avaliação o texto do acórdão contém “excessos e omissões”. Segundo ele, um dos excessos flagrantes é a conclusão de que a criação de um Conselho Federal de Jornalistas seria inconstitucional por ferir a liberdade de expressão. "O STF, escandalosamente, foi além do que as próprias empresas pediram no recurso", protesta. Segundo ele, o texto também deixa dúvidas sobre a emissão do registro profissional da categoria. “Pelo que o acórdão leva a entender, até o registro profissional de jornalista pode ser considerado inconstitucional e inibidor da sagrada e inquestionável liberdade de empresa”. Para tratar desta questão, a FENAJ tem reunião agendada com o ministro Carlos Luppi, na próxima terça-feira (25), às 17h. Após o julgamento do STF, o Ministério do Trabalho e Emprego suspendeu uma série de procedimentos relativos à emissão do registro profissional de Jornalista, aguardando a publicação do acórdão para esclarecimentos de como atuar no caso. Como os representantes de vários Sindicatos da categoria estarão em Brasília para acompanhar a votação na CCJ do Senado, o objetivo de Sérgio Murillo é levá-los também para a audiência com o ministro. “Se até o Ministério tem dúvidas sobre o registro, imagine o tamanho da dúvida entre nós”, exclama.Vida real Muito gente ainda acredita que a polêmica que envolve o diploma para jornalista trata-se exclusivamente de um debate sobre ideais liberais e sobre liberdades individuais. Uma prova da ingenuidade: Por uma questão política, os empresários de comunicação do Paraná insistem em retirar a exigência do diploma da Convenção Coletiva de Trabalho dos jornalistas. Foi o que revelou o representante dos dois sindicatos patronais, o advogado Roberto Santiago, durante a quarta rodada de negociações, que aconteceu ontem (17/11) na sede do Sindicato dos Jornalistas. A posição dos donos dos veículos paranaenses explicita o que eles realmente desejam com a queda do diploma: desregulamentação da profissão e precarização das relações trabalhistas. Além disso, a intransigência dos empresários na mesa de negociação é bem diferente da postura que adotaram publicamente, quando se comprometeram em seguir contratando jornalistas profissionais. Prova da falta de compromisso com a qualidade da informação dá o maior grupo de comunicação do estado, a RPC, que, de forma oportunista, abriu um “cursinho” Talento Jornalismo para não-diplomados na área.“Essa é a vida real”, diz o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Paraná, Márcio Rodrigues. “O Supremo vive em uma ilha da fantasia e não tem dimensão do estrago que fez na organização da nossa profissão”, protesta. O Sindicato está convocando seus associados para dizer “não” à proposta patronal na assembléia marcada para a próxima semana.
Fonte:FENAJ

quarta-feira, novembro 18, 2009

O tombo do Afonso

O repórter cinematográfico da TV Acre, Raimundo Afonso, que esteve acompanhando a comitiva do governador do Acre, Binho Marques, na manhã desta terça-feira (17/11), levou um tombo após o motorista de uma camionete boliviana, que levava os repórteres, não espera todos descerem e Afonso da um mortal Kombat, parecia até o Matrix Revolution, e se esborrachou no chão, mas como todo bom profissional não deixa seu equipamento cair. O acontecimento se deu por volta das 11h00 ao lado do Palácio do Governo da cidade de Cobija.

Raimundo Afonso, após mostrar o quanto é profissional, rodando no ar e caindo de costa, teve uma luxação no cotovelo direito. O repórter cinematográfico, Wesley Cardoso, que trabalha na assessoria da Prefeitura de Epitaciolândia, gravou o momento da queda.

video

segunda-feira, novembro 16, 2009

Galinha assada

No complexo de comunicação O Rio Branco, os jornalistas estão mostrando como é que se faz na hora do rango. Antes de deflorar, que dizer, devorar uma galinha assada, todos ser reúnem ao redor da mesa e pedem que essa seja uma deliciosa refeição e que todos escolham suas partes preferidas. Que o diga o jornalista Antonio Muniz, vejam a cara do repórter ante a deliciosa penosa.



Agradecimentos ao jornalista Chaguinha que enviou esta foto ao imprensa em foco.

domingo, novembro 15, 2009

A mutação da semana

O jornalista Ecimário, TV5, é o primeiro de uma série de mutações de jornalistas acreanos que o imprensa em foco irá transformar todas as segundas. Nessa, o repórter é uma mistura de vampiro e o personagem "Spot" da série "jornada nas estrelas". Na próxima segunda teremos outro jornalista mutante.

sexta-feira, novembro 13, 2009

PEC 33/2009

Agora é no senado!Vamos enviar mensagens em apoio à PEC 33/2009 que também resgata a exigência do diploma para exercício do JornalismoDepois da conquista na CCJC da Câmara, precisamos garantir a aprovação da PEC do diploma, de autoria do senador Antonio Carlos Valadares, na Comissão de Constituição e Justiça do senado. Na capa do site da FENAJ, já se encontra disponível a relação dos senadores que integram a Comissão. Está no banner "Acompanhe aqui o placar do diploma na CCJC do senado". Envie mensagens a todos os parlamentares, converse com os senadores do seu estado. A PEC 33/2009 já tramita na CCJC do Senado e o relator da matéria, senador Inácio Arruda, deu parecer favorável à aprovação da Proposta. A votação pode ocorrer já na próxima semana. Por isso, todos na luta pela vitória em mais uma batalha.Até resgatarmos definitivamente este pilar da regulamentação da profissão de jornalista, nossa mobilização deve ser permanente. Não esqueçam que 17 de cada mês é Dia Nacional de Luta em Defesa da Profissão de Jornalista e do Jornalismo. Para este dia ou datas próximas, programem atividades nas suas regiões. Toda a agenda de mobilização, para divulgação, deve ser encaminhada para fenaj@fenaj.org.br; boletim@fenaj.org.br
Saudações sindicais,Valci Zuculoto Diretora de Educação da FENAJ pelo GT Coordenação Nacional da Campanha em Defesa da Profissão
valci@fenaj.org.br(48)99683972

segunda-feira, novembro 09, 2009

Mensagem do presidente do SINJAC

Aos meus colegas jornalistas

Caros colegas jornalistas, o ano de 2009 ruma para seu ocaso e, como sempre fiz, enquanto presidente do Sindicato dos Jornalistas, nunca cruza para o ano seguinte sem prestar contas daquilo que fizemos, ou deixemos de fazer. Também convêm me dirigir à categoria nessa época exatamente pela proximidade de uma das maiores festas que realizamos anualmente, o prêmio José Chalub Leite de Jornalismo. Venho de público convocar toda a categoria para esse momento importante, principalmente por essa 10ª edição trazer novidades curiosas, como, por exemplo, o aumento no valor da premiação.
Colegas, nessa época as críticas se acentuam. Por algum motivo alguns não gostam dessa ou daquela atitude, reprovam isso ou aquilo, ou simplesmente discordam da maneira como conduzimos o Sindicato. Mas temos tido a humildade de absorver as críticas de acordo com o espírito democrático, com a consciência de quem tentou acertar sempre. Se não acertamos tudo, tentamos. Reconhecemos o passado de nossa categoria, temos consciência do presente e sonhamos com o futuro. Aos críticos, a resposta são os feitos e a gentileza da casa é chamá-los para perto do Sindicato. As portas da sede estão abertas diariamente.
Esse ano foi produtivo, crescemos, proporcionalmente, em relações há anos anteriores. Realizamos seminários, encontros e, mais que isso, reafirmamos o compromisso com a categoria. Tivemos um embate no interior do Tribunal de Justiça por ocasião de uma decisão pontual de um Juiz, que tentou fechar as portas do Tribunal do Júri. E não desistimos enquanto não garantimos o aumento da premiação do Chalub Leite, com a abertura de novas categorias, a de rádio jornalismo-indústria, melhor imagem e jornalismo On-line. Estreitamos os laços com os colegas do interior quando fizemos em Cruzeiro do Sul a 1ª Semana de Comunicação, fizemos uma parceria com Tribunal de Contas do Estado, onde 14 jornalistas estão fazendo MBA em Gestão Pública, fizemos do Sindicato dos Jornalistas uma agremiação de utilidade pública.

Antes de fechar 2009, vamos lançar, durante a entrega da premiação, o livro “Tão Acre 2”, resultado dos últimos fragmentos escritos por Zé Leite pouco antes de sua morte. Quando recebemos o Sinjac, em 2007, muita coisa havia sido realizada, mas estabelecemos metas para que o mandato não se tornasse monótono, repetitivo, copiador. Naquela época, pagava-se aos vencedores do Chalub Leite pouco mais de R$ 20 mil. Acrescentamos novas categorias e a premiação atingiu, já naquele ano, R$ 25.500. Lançamos o prêmio em Brasiléia, Sena Madureira e Tarauacá, antes só era lançando na capital e em Cruzeiro do Sul. Ousamos com a mudança de sede do Sinjac. Deixamos um escritório e mudamos para um logradouro espaçoso, com amplas salas e estrutura capaz de garantir a categoria um apoio logístico no centro de Rio Branco. Fizemos um site, criamos uma tabela de preços para os repórteres free-lancers. No primeiro ano de nosso mandato tivemos o prazer de realizar o 1º Encontro de Jornalistas Mulheres, oportunidade em que nossas colegas lançaram o livro de crônicas pertinentes às suas causas. Criamos a cartilha sobre os direitos do jornalista, renovamos o convênio com o Sets/Senat cujo resultado é a abertura de suas portas para nossos colegas. No ano seguinte, 2008, selamos parceria com Ameron onde jornalistas tiveram acesso a planos de saúde com desconto. Foi em 2008 que promovemos a 1ª Semana de Jornalismo Empreendedor, trouxemos para o Acre o jornalista Carlos Carvalho para uma palestra sobre o “Valor estratégico da comunicação corporativa nas organizações” e, muito importante, criamos o selo de 20 anos do Sinjac. Historicamente, adquirimos naquele período o terreno para a construção de nossa futura sede social e fechamos o ano distribuindo uma premiação de R$ 31.500 aos vencedores do Chalub Leite, R$ 5 mil a mais que o ano anterior.
Eu e minha diretoria nos dedicamos muito para realizar ao menos o razoável. E vamos continuar agindo assim, até que feche nosso ciclo no Sindicato. Não sem propósito, sonhamos para o primeiro semestre de 2010 a realização de novos encontros de jornalistas e o mais esperado por todos nós: lançar a pedra fundamental da obra que erguerá a sede social do nosso Sindicato. Estabelecemos o dia 7 de Abril, Dia do Jornalista, para essa grande festa, que acontecerá em alto estilo, se Deus quiser.
No fechar de 2009 estamos em negociação salarial com diretores de emissoras de Cruzeiro do Sul para definir um piso justo para jornalistas que exercem sua função, já que no município não tem um piso salarial definido para categoria, em Dezembro vamos lançar no vale do Juruá o Prêmio de Jornalismo João Mariano de Jornalismo, com isso vamos fazer um resgate do jornalismo de Cruzeiro do Sul e valorizar a categoria.
Caros amigos jornalistas, chamo a todos para esses futuros embates e para os desafios presentes. O Sinjac que eu penso é um sindicato de todos, onde todos têm o direito de discutir suas idéias.
Um forte abraço e até nosso próximo encontro, no prêmio José Chalub Leite, dia 12 de dezembro.
Marcos Vicentti, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre .

terça-feira, novembro 03, 2009

PEC dos jornalistas vai a voto na CCJC. Placar indica tendência

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados deve apreciar, nesta quarta-feira, dia 4, quarta-feira, dia 4, a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 386/09, que restabelece a exigência do diploma universitário para o exercício do Jornalismo. Integrantes da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma e dirigentes da FENAJ desenvolveram articulações, nesta terça-feira (3) para assegurar que a proposta seja votada. Um placar com a tendência de voto dos membros da CCJ está disponível no site da FENAJ.Houve expectativa de votação da matéria já em duas reuniões da CCJC. Na sessão do dia 28 de outubro, a votação foi adiada devido a uma manobra protelatória do deputado Zenaldo Coutinho (PSDB-PA), que apresentou voto em separado contrário a PEC dos Jornalistas no dia anterior. Em contato com dirigentes do Sindicato dos Jornalistas do Ceará, no dia 30 de outubro, o ministro da Previdência, José Pimentel, declarou que a bancada do governo votará a favor da PEC.A presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma, deputada Rebecca Garcia (PP/AM), embora considere saudável a discussão provocada por Zenaldo Coutinho, argumentou que a CCJ deve se posicionar sobre a constitucionalidade da PEC e não o mérito de seu conteúdo. Coutinho. Segundo ela, as questões de mérito devem ser debatidas na comissão especial que será aberta somente com esse objetivo. “Vamos ter que trabalhar forte na Comissão para aprovar a PEC”, disse, defendendo a ampliação da mobilização da categoria e dos aliados da defesa do diploma para que esta luta prospere no Congresso Nacional.Placar aponta tendênciaDos 122 membros titulares e suplentes da CCJ, segundo o levantamento que consta no site da FENAJ, 68 são favoráveis à PEC do Diploma, dois são declaradamente contrários, dez afirmam estarem em dúvida e não é conhecida a posição de 42 deles. Destacam-se, entre os membros titulares, o apoio dos parlamentares das bancadas do Acre, Alagoas, Ceará, Maranhão, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Sergipe e Goiás. Entre os que estão em dúvida ou não se posicionaram constam principalmente parlamentares da Bahia, Minas Gerais e Paraná.A FENAJ pede a participação de todos os apoiadores da campanha em defesa da profissão, com o envio de mensagens aos parlamentares da CCJ, pedindo a aprovação desta PEC. A entidade disponibiliza os e-mails dos membros da comissão e solicita que seja intensificada a mobilização pela ampliação da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma, que já conta com mais de 240 participantes, buscando a adesão dos deputados e senadores de cada estado que ainda não aderiram. Para encaminhar mensagens de sensibilização aos parlamentares de seu estado ou região, clique aqui.
Fonte: FENAJ

quinta-feira, outubro 29, 2009

Votação da PEC dos Jornalistas é adiada novamente


Ao contrário do que se esperava a Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados não apreciou, nesta quarta-feira, a Proposta de Emenda Constitucional 386/09. Numa iniciativa protelatória, o deputado Zenaldo Coutinho (PSDB-PA) apresentou voto contrário a PEC dos Jornalistas no dia anterior. Apoiadores da proposta concentrarão esforços para que a proposta seja votada na reunião da CCJC do dia 4 de novembro.Identificado com os interesses dos empresários de comunicação, na justificativa de seu voto em separado Zenaldo Coutinho usou os mesmos argumentos das entidades patronais para se posicionar contra a PEC dos Jornalistas. Sua iniciativa se coaduna com a estratégia empresarial que, na semana passada, através da publicação de artigo da presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ), Judith Brito, em veículos de comunicação de todo o país, buscou influenciar o posicionamento dos membros da CCJC.Autor da PEC dos Jornalistas, o deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) classificou como um tipo de "censura" tanto a prática da grande mídia, que restringe o acesso ao debate quando concede espaço somente a uma versão dos fatos, como a tentativa de barrar a votação da Proposta na CCJ. "É estranho que aqueles que se dizem defensores da liberdade de expressão revelem na prática exatamente o inverso, manipulando e restringindo a discussão. Desde que se começou a cogitar a votação da PEC na CCJ, iniciaram, estrategicamente, movimentos para impedir a análise da Proposta, o que considero uma prática anti-democrática", critica.Pimenta adianta que, para a próxima semana, juntamente com a FENAJ, o relator da PEC dos Jornalistas, deputado Maurício Rands (PT-PE) a líder da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma, deputada Rebeca Garcia (PP-AM) e com o deputado Mauricio Quintella Lessa (PR-AL) serão desenvolvidos esforços para que a PEC seja votada na reunião da CCJC do dia 4 de novembro.Há expectativa, também, de que no mesmo dia os deputados Paulo Pimenta, Maurício Rands e Rebeca Garcia sejam recebidos pelo presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, para discutir uma alternativa à decisão que extinguiu com a exigência do diploma.

terça-feira, outubro 20, 2009

Sinjac

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre (Sinjac) prepara a festa de lançamento dos dez anos do Prêmio José Chalub Leite de 2009. O evento será realizado no próximo dia 27, no Horto Florestal, e antecede a solenidade de entrega das homenagens, que ocorrerá no dia 12 de dezembro. O encontro vai reunir todas categorias de trabalhadores da comunicação no Estado.


--
Marcos Vicentti - Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre - Sinjac
(68) 9991-0076/(68) 3223-7418

quarta-feira, setembro 30, 2009

Audiência pública no Senado debate PEC que restabelece exigência do diploma

A Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC) do Senado realiza, nesta quinta-feira (1), audiência pública para debater a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 33/09, do senador Antônio Carlos Valadares (PSB-SE), que restabelece a exigência do diploma no Jornalismo. O debate no Congresso Nacional ganhou novos ingredientes com a questão de ordem apresentada pelo deputado Ibsen Pinheiro (PMDB/RS) de que cabe ao Senado manifestar se a decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a inconstitucionalidade da exigência do diploma é válida nacionalmente. A audiência pública desta quinta-feira (1º/10) será às 10h, na Sala de Reuniões nº 3 da CCJC, no Anexo II do Senado. Destinada a instruir a PEC 33/09, que "Acrescenta o art. 220-A à Constituição Federal, para dispor sobre a exigência do diploma de curso superior de comunicação social, habilitação jornalismo, para o exercício da profissão de jornalista”, foram convidados a participar da audiência a FENAJ, a Associação Brasileira de Imprensa (ABI), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Fórum Nacional dos Professores de Jornalismo (FNPJ), a Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor), a Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ). Questão de ordemReforçada pela instalação, no dia 23 de setembro, da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma, a reivindicação de que se restitua a obrigatoriedade de diploma em curso superior de Jornalismo para o exercício da profissão ganhou novo apoio com a questão de ordem levantada no mesmo dia pelo deputado federal Ibsen Pinheiro no Plenário da Câmara. O parlamentar sustentou que o diploma de jornalista não caiu e que a Constituição (inciso X do art. 52) dispõe que só o Senado pode suspender a execução da norma que regulamentou a exigência para o exercício da profissão. A questão de ordem, subscrita também pelos deputados Aldo Rebelo (PCdoB/SP) e Edgar Moury (PMDB/PE) e pelos senadores Valter Pereira (PMDB/MS) e Inácio Arruda (PCdoB/CE), e que provoca o Senado a se manifestar sobre a questão, foi acolhida pelo presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB/SP). Ele comprometeu-se a encaminhar a documentação para a Presidência do Congresso Nacional.

Relatório sobre a PEC dos jornalistas deve ser apreciado dia 7 de outubro

Com mobilizações e debates prosseguindo nos estados, o movimento pelo restabelecimento da exigência de diploma de curso superior de Jornalismo para o exercício da profissão se amplia. Nesta quarta-feira o deputado Maurício Rands (PT/PE) protocola seu relatório sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 386/09, que deverá ser apreciado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados no dia 7 de outubro. A FENAJ pede empenho dos apoiadores desta para sensibilizar membros da CCJC pela aprovação da proposta.Desde 17 de junho, quando o STF julgou que a exigência do diploma de Jornalismo para o exercício da profissão é inconstitucional, a mobilização pela manutenção deste requisito, que já ocorria antes do julgamento, vem crescendo. No dia 22 de setembro um debate na Universidade de Marília (Unimar), promovido junto com a Regional Bauru do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, reuniu profissionais jornalistas, professores e o presidente da OAB Marília, Carlos Alberto dos Santos Mattos, que enfatizou que a entidade como um todo (Conselho Federal, Seção São Paulo e sub-seções pelo Estado) reprova a decisão do STF.No dia 23, estudantes, jornalistas e professores de Vitória da Conquista (BA) ocuparam as principais ruas da cidade numa manifestação com panelas, roupas de cozinheiros, apitos, cartazes e gritos de protestos. No mesmo dia, mesmo com chuva, os 67 anos do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul foram marcados por uma manifestação em defesa do diploma na Esquina Democrática, no centro de Porto Alegre (RS). Nesta terça-feira (29), houve outro debate, desta vez na Universidade de Araraquara (Uniara), promovido com conjunto com a Regional Ribeirão Preto do SJSP.Relatório está prontoA informação de que o relatório sobre a PEC 386/09 está concluído e deve ser apreciado pela CCJC da Câmara no dia 7 de outubro foi divulgada em reunião da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma ocorrida nesta terça-feira (29). Na reunião foi definida a coordenação da Frente, com a deputada Rebecca Garcia (PP/AM) como presidente, os deputados Paulo Pimenta (PT/RS) e Emiliano José (PT/BA) como 1º e 2º Vices, respectivamente, e com a deputada Lídice da Mata (PSB/BA) como secretária.“O momento é propício para que os Sindicatos de Jornalistas e apoiadores do movimento em defesa do diploma intensifiquem contatos para sensibilização dos membros da CCJC da Câmara pela aprovação da PEC”, orienta o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade.Encaminhe você também uma mensagem de apoio à PEC dos Jornalistas. A lista dos parlamentares que integram a CCJC está disponível aqui
Fonte: FENAJ

quarta-feira, setembro 23, 2009

Ato na Câmara instala a Frente Parlamentar em Defesa do Diploma

Um café da manhã bastante concorrido na Câmara dos Deputados marcou nesta quarta-feira (23/09) o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma, que já conta com a participação de 203 deputados e 12 senadores. A coordenadora da Frente, Deputada Rebecca Garcia (PP/AM) anunciou que nos próximos dias fará contatos para encaminhamento de matérias de interesse dos jornalistas e da PEC 386/09, que restabelece a exigência do diploma para o exercício da profissão. O lançamento da Frente foi prestigiado por 31 deputados, dois senadores, pelos diretores da FENAJ Sérgio Murillo de Andrade, Antônio Paulo. Aloísio Lopes e Arthur Lobato, e pelos presidentes dos Sindicatos dos Jornalistas de São Paulo, Amazonas, Distrito Federal e Município do Rio de Janeiro. Guto Camargo, César Vanderley, Romário Schettino e Suzana Blass, respectivamente. Homenageando a categoria, a deputada Rebecca Garcia convidou para compor a mesa que coordenou o ato a deputada Manuela d'Ávila (PCdoB/RS) e o deputado Emiliano José (PT/BA), que são jornalistas, e o presidente da FENAJ.Rebecca anunciou que a primeira ação da Frente será o contato com a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados para encaminhamento da PEC 386/09, a PEC dos Jornalistas. Outra ação será a retomada de contato com o presidente da Casa, Michel Temer (PMDB/SP) para solicitar a instalação de uma Comissão Especial para analisar todas as matérias de interesse dos jornalistas que tramitam no Congresso Nacional. A coordenadora anunciou, também, que é objetivo da Frente realizar um seminário em outubro sobre as propostas de elaboração de uma nova Lei de Imprensa, de caráter democrático. Autor da PEC dos Jornalistas, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) informou que o relator da matéria, o deputado Maurício Rands (PT/PE) vai apresentar seu parecer na CCJC na primeira semana de outubro. “Nosso objetivo é acelerar a tramitação desta matéria e a instalação desta Frente Parlamentar vai ajudar bastante neste sentido”, avaliou.Já o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade, registrou a grande expectativa dos jornalistas brasileiros com relação ao posicionamento do Congresso Nacional após a decisão do Supremo Tribunal Federal que extinguiu com a exigência do diploma para o exercício do jornalismo, gerando uma crise que ameaça a própria regulamentação da profissão. “Esse é o lugar apropriado, no Congresso Nacional, para encontrarmos um meio de contornar essa ameaça séria que hoje paira sobre a profissão que é a desregulamentação geral, situação que não interessa à categoria e degrada o direito do cidadão de ter informação com qualidade”, destacou.
Fonte: FENAJ

Encontro Nacional de Assessores de Comunicação terá ato em defesa do diploma

Termina nesta sexta-feira (25/09) o prazo para inscrições via internet de delegados e participantes do 17º Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Comunicação, que será realizado em Goiânia de 1º a 4 de outubro com o tema “Assessoria de Imprensa: O Jornalismo passa por aqui”. Além de um ato público em defesa do diploma, mais uma atividade foi acrescentada à programação do evento, o fortalecimento da Campanha Nacional Contra a Precarização das Relações de Trabalho dos Jornalistas.Após o encerramento das inscrições via internet, os interessados poderão se inscrever entre dias 26 e 30 de setembro no Sindicato dos Jornalistas de Goiás ou no dia da abertura do 17º ENJAC, junto à Comissão Organizadora no Castro´s Park Hotel, local do evento. Informações sobre a programação e inscrições do Encontro estão disponíveis aqui. O prazo para inscrição de teses encerrou-se nesta segunda-feira (21). Novas propostas podem ser apresentadas, mas não serão incluídas no Caderno de Teses, que já foi encaminhado para impressão. Agora os autores de novas propostas devem se encarregar da impressão e distribuição das mesmas durante o ENJAC.A maioria dos 31 Sindicatos de Jornalistas já realizou seu Encontro ou Assembléia Geral para definição de delegação e propostas ao 17º ENJAC. No Rio de Janeiro o VIII Encontro de Jornalistas em Assessoria de Comunicação será de 25 a 27 de setembro, em Teresópolis.Segundo o presidente da FENAJ, Sérgio Murillo de Andrade, a informação de que a Coordenação da Campanha em Defesa do Diploma prepara um ato público para o dia 2 de outubro em Goiânia, estimulou o respaldo ao evento de integrantes da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma, lançada nesta quarta-feira (23) em Brasília. “Vários dos presentes manifestaram disposição de participarem do ato em Goiânia”, disse.Sérgio Murillo informou, também, que durante o 17º ENJAC haverá o reforço à Campanha Nacional Contra a Precarização das Relações de Trabalho dos Jornalistas, promovida pela FENAJ e pela Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ). Serão lançados novos materiais impressos e para utilização via internet, com o objetivo de combater fraudes como a pejotização, que retiram direitos da categoria.

Fonte: FENAJ

quarta-feira, setembro 16, 2009

Em defesa da profissão

Audiência na Câmara discute PEC dos Jornalistas

No parlamento e nas ruas, o movimento em defesa do restabelecimento da exigência do diploma para o exercício profissional do Jornalismo ganha força. Nesta quinta-feira (17) haverá audiência pública conjunta da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio (DECOM) e da Comissão de Legislação Participativa (CLP) da Câmara dos Deputados sobre a PEC dos Jornalistas. E no dia 23 de setembro, será instalada a Frente Parlamentar em Defesa do Diploma. Novas manifestações públicas estão programadas para esta e para a próxima semana.Já confirmada, a audiência pública sobre a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 386/09, acontece às 9h30 desta quinta-feira, no Anexo II, Plenário 11 da Câmara. Também está confirmado o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma para o dia 23 de setembro. A deputada Rebecca Garcia (PP/AM), coordenadora da Frente Parlamentar, informou que o lançamento, antes previsto pra esta semana, foi adiado por falta de local para sua realização. No dia 23 será feito durante café da manhã na sala VIP do Restaurante do SENAC, às 8h30, no 10º andar do Anexo IV da Câmara dos Deputados.Em documento enviado a entidades integrantes do movimento, Valci Zuculoto, diretora de Educação da FENAJ e integrante da Coordenação Nacional da Campanha em Defesa do Diploma, destacou a importância de intensificar o movimento neste momento. O documento orienta a realização de atividades no dia 17 de cada mês, data de atividades em defesa da profissão (regulamentação e diploma) em todo o país, ou em períodos próximos, o fortalecimento da Frente Parlamentar em Defesa da Regulamentação e Diploma através do contato com os parlamentares de cada região, a busca da agilização da tramitação e aprovação das PECs na Câmara e no Senado, com contatos também com os parlamentares integrantes das Comissões de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara e Senado, e a organização de um ato nacional no dia 2 de outubro, durante o 17º ENJAC, em Goiânia. “Solicitamos que todas as delegações levem suas camisetas, banners, faixas e materiais alusivos ao nosso movimento”, disse Valci Zuculoto. O movimento prepara, também, uma Marcha a Brasília, para manifestação no Congresso Nacional.Os presidentes dos Sindicatos dos Jornalistas do Município do Rio e do Estado do Rio de Janeiro, Suzana Blass e Ernesto Viana, e a representante do GT em Defesa do Diploma/Região Sudeste, Sonia Regina, reuniram-se sexta-feira (11/09) com o deputado federal Arolde de Oliveira (DEM/RJ), que presidiu durante a Constituinte de 1988 a Comissão de Comunicação. O parlamentar, que integra a Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara, declarou ser a favor da exigência do diploma para o exercício profissional e garantiu seu empenho para que a PEC dos Jornalistas seja aprovada. Outro parlamentar carioca, o deputado Hugo Leal (PSC-RJ), informou que vai propor a formação de uma Comissão Especial na Câmara dos Deputados que unifique todas as iniciativas apresentadas sobre o assunto no Congresso Nacional. "Com a participação proporcional de todos os partidos, em cinco ou seis sessões, com pedido de urgência, será possível votar a proposta no plenário até o final deste ano", disse Leal.Durante o 17º Intercom, em Curitiba, de 4 a 7 de setembro, representantes do Sindicato do Paraná, FENAJ e integrantes da Coordenação Nacional da Campanha em Defesa da Profissão, mantiveram estande para distribuição de materiais do movimento. Foram vendidas camisetas (produzidas pelos estudantes do Paraná) com os slogans InterComDiploma e Jornalista por formação, além de distribuição de material sobre a luta pela democratização da comunicação e pró Confecom. No dia 6 houve um ato público pela volta da obrigatoriedade do diploma. A mesa de debates sobre "A decisão do STF, o Futuro da Profissão e a Consolidação da Teoria do Jornalismo" foi uma das atividades mais concorridas, destacando-se a defesa do retorno da obrigatoriedade do diploma em Jornalismo.Nesta segunda-feira (14), profissionais professores e estudantes realizaram manifestação em defesa do diploma no Fórum de João Pessoa (PB). Não faltaram, como de praxe nos últimos meses, críticas ao ministro Gilmar Mendes é à decisão do STF. No mesmo dia, em Florianópolis, houve debate na UFSC sobre o diploma.No sábado (12), em Lages, representantes do Sindicato dos Jornalistas de SC e da Comissão em Defesa da Profissão de Jornalista da Serra Catarinense mantiveram contato com o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi. Inquirido sobre o posicionamento do MTE em relação à regulamentação profissional diante do julgamento do STF derrubando a obrigatoriedade do diploma para o exercício profissional, Lupi disse que é preciso aguardar a publicação do acórdão do STF sobre a matéria. Ele acredita que os jornalistas “têm grandes chances de já reverter o processo via Congresso Nacional" , deixou claro que o MTE tem compromisso na defesa dos direitos dos trabalhadores e não concebe outra saída para o impasse que não seja manter viva a regulamentação profissional.Na quinta-feira passada (10/09), a Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Câmara de Vereadores de Santa Maria (RS) promoveu audiência pública sobre a decisão do STF que extinguiu a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão que contou com a participação do deputado Paulo Pimenta (PT), autor da PEC 386/09, e de dirigentes do Sindicato dos Jornalistas. A campanha em defesa do diploma para o exercício da profissão tem duas atividades programadas para os dias 22 e 23 de setembro. Na terça-feira, 22, às 10 h, o Sindicato dos Jornalistas promove audiência pública da Comissão de Educação da Assembléia Legislativa gaúcha no Auditório da Famecos (prédio 7 da PUC). Já na quarta-feira, 23, será realizado um ato na esquina democrática, a partir do meio-dia.Para esta quinta-feira (17), o Sindicato dos Jornalistas do Piauí programou uma manifestação em Teresina. Em Florianópolis, estudantes e professores da UFSC e Unisul realizam no dia 23, às 12 h, manifestação no centro da cidade
Fonte: FENAJ

quinta-feira, setembro 10, 2009

Frente Parlamentar em Defesa do Diploma será lançada dia 23

Na semana passada, a deputada Rebecca Garcia (PP/AM) encaminhou à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados requerimento com número de assinaturas superior ao necessário para a constituição da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma. A instalação da Frente está prevista para o dia 23 de setembro. Atividades em apoio a restituição da obrigatoriedade do diploma para o exercício profissional do Jornalismo estão sendo programadas para o Dia Nacional de Luta, 17 de setembro. Coordenadora dos trabalhos para a constituição oficial da Frente Parlamentar em Defesa do Diploma, Rebecca Garcia anunciou, no dia 2 de setembro, o encaminhamento de requerimento à Mesa Diretora da Câmara dos Deputados para a constituição desta Frente suprapartidária. Durante os meses de julho e agosto foi desenvolvido o esforço de coleta das 198 assinaturas de parlamentares necessárias para sua formalização. Até o dia 2, já haviam sido coletadas 203 assinaturas. A Frente tem por objetivo ampliar o debate sobre a questão do diploma e de outros temas relacionados à profissão de jornalista, como uma nova legislação, de caráter democrático, para regular as relações entre os veículos de comunicação, os profissionais e a sociedade, após a derrubada pelo Supremo Tribunal Federal, em junho, da Lei de Imprensa e da exigência da obrigatoriedade de diploma em curso superior para o exercício do jornalismo. Os trabalhos de sensibilização dos parlamentares, no entanto, não param. “Temos certeza de que outros parlamentares podem e devem aderir a esta Frente, como também apoiar a tramitação das PECs na Câmara e Senado”, diz Valci Zuculoto, diretora da FENAJ e membro da Coordenação da Campanha em Defesa do Diploma. “Mas para isso é preciso que o esforço de sensibilização dos parlamentares e de cada vez mais setores da sociedade prossiga”, observa. Ela recomenda contatos com os parlamentares integrantes das Comissões de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara e do Senado, bem como com deputados que ainda não aderiram à Frente Parlamentar. Além do ato de instalação da Frente Parlamentar na Câmara dos Deputados, Valci lembra que em reunião ampliada da direção da FENAJ com representantes dos Sindicatos de Jornalistas, em julho, ficou definido que o dia 17 de cada mês é Dia Nacional de Luta, em alusão à data da decisão do STF que derrubou a exigência do diploma (17 de junho). O Sindicato dos Jornalistas do Piauí já programou para 17 de setembro uma grande manifestação em Teresina, com a participação de estudantes, professores e jornalistas em defesa do diploma. No Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (10/9), às 10 horas, na Assembleia Legislativa (Rua Dom Manuel, Praça 15), haverá o lançamento da Frente Parlamentar Estadual e audiência pública sobre o diploma.
fonte: FENAJ

sábado, setembro 05, 2009

Sinjac

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Acre (Sinjac), através de seu advogado Jonanthan Santiago, está recorrendo ao Conselho de Administração do Tribunal de Justiça do Acre contra a Portaria nº. 8 , publicada no Diário da Justiça Eletrônico, fl. 55, do dia 19 de agosto de 2009. Assinada pelo juiz Leandro Leri Gross, da Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco (AC), a Portaria institui graves restrições à atividade da imprensa nos julgamentos realizados no Fórum Barão do Rio Branco. A Ação do Sindicato foi protocolada na manhã desta última quinta-feira, às 9h, no edifício sede da Administração do TJ/Acre, ao lado do Hotel Epílogo. Pela importância do tema para o livre exercício da profissão, o Sinjac convidou todos os jornalistas com atuação no Estado, em especial os que atuam na Capital Rio Branco, para participarem do ato de entrega oficial de pedido de reforma ou revogação da referida Portaria. Na ocasião, alguns jornalistas compareceram ao ato.






Marcos Vicentti
Presidente do Sinjac

segunda-feira, agosto 31, 2009

NOTA DE REPÚDIO DO SINJAC

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Acre (Sinjac) repudia as restrições à liberdade de expressão decorrentes da Portaria nº 8, assinada pelo juiz Leandro Leri Gross, titular da Vara doTribunal do Júri da Comarca de Rio Branco. O juiz tenta desconstruir a relação de respeito da Imprensa para com o Judiciário do Acre a pretexto de regulamentar o trabalho de repórteres fotográficos e cinegrafistas durante a sessão de julgamento do "crime da motosserra", marcado para 21 de setembro, tendo como réus Hildebrando Pascoal, Pedro Pascoal, Alex Barros e Adão Libório. De acordo com a portaria, não será permitido filmar ou fotografar os acusados no interior do plenário, sendo que imagens ou fotografias poderão ser obtidas do lado externo, onde existe uma porta de vidrofumê com cortina. Ao proibir filmagem, foto, celular e laptop durante o júri, além de impedir que o debate do julgamento seja transmitido ao vivo em telão, o magistrado dá prova de desconhecimento do papel desempenhado pela imprensa do Acre no esforço da sociedade para desmobilizar o crime organizado no Estado. O ex-deputado Hildebrando Pascoal chegou a invadir o Tribunal deJustiça do Acre para ameaçar desembargadores quando as autoridades doEstado começaram a se mobilizara para investigar o terror imposto por seu bando na vida social acreana. O ex-comandante da Polícia Militar do Acre chegou a obrigar uma repórter a engolir uma página de jornal contendo informações consideradas desfavoráveis aos interesses dele. Hildebrando Pascoal é acusado de ter usado uma motosserra para fatiar uma de suas vítimas, tendo arrastado seu corpo em carro pelas ruas de Rio Branco, abandonado-o próximo de uma emissora de TV na tentativa de intimidar os jornalistas. A Imprensa do Acre sempre teve acesso ao Tribunal do Júri sem desrespeitar o direito de proteção de jurados e testemunhas. O Judiciário do Acre já deu prova de maturidade quando realizou com máxima transparência o julgamento do caso Chico Mendes em Xapuri (AC) há quase 20 anos. Esperamos que o presidente do Tribunal de Justiça do Acre, desembargador Pedro Ranzi, faça prevalecer o bom senso em relação ao acompanhamento a Imprensa no desfecho de um crime que ainda atormenta a sociedade brasileira.

--------------------------------------------------------------------------------
Marcos Vicentti
Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Acre
Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj)

quinta-feira, agosto 27, 2009

CURSO CINEMATOGRAFIA ELETRÔNICA DIGITAL

O Centro do Audiovisual do Norte e Nordeste (CANNE) ofereceu em parceria com o Núcleo de Produção Digital da Usina de Arte João Donato, o curso CINEMATOGRAFIA ELETRÔNICA DIGITAL (fotografia em alta definição – HD), ministrada pelo renomado diretor de fotografia Lúcio Kodato.
Este já é o segundo curso do mesmo segmento oferecido este ano.
O curso foi realizado no período vespertino (14:00 às 18:00) e no período noturno(19:00 às 23:00) entre os dias 17 a 21/08/2009, sendo que no período vespertino as aulas foram no cineclube Aquiry com uma ênfase maior na teoria e, no período noturno as aulas foram no estúdio com prática avançada de luz com exercícios e operação de câmera. O curso foi encerrado com uma aula no estúdio da TV Aldeia – Sistema Público de Comunicação.
O público alvo foram os alunos do curso de cinema e vídeo da Usina de Arte João Donato, profissionais da área de fotografia e câmera de empresas produtoras, emissoras de TVs e associações de audiovisual de Rio Branco.
O curso obteve um total de 58 inscrições com uma média presencial diária de 44 pessoas nos dois períodos.















quinta-feira, agosto 13, 2009

Leônidas Redentor

Em visita ao Rio de Janeiro o jornalista Leônidas Badaró foi visitar o Cristo Redentor e para não perder a viagem tirou uma foto bem pertinho da estátua. Para espanto geral, a foto quando foi revelada mostrou uma imagem que deixa qualquer um de boca aberta. Vejam e fiquem de boca aberta.

quarta-feira, agosto 12, 2009

Repórter cinematográfico tem moto furtada

O repórter cinematográfico Cleriston Amorim, TV Gazeta, teve sua moto furtada da garagem de sua casa. Quem souber de alguma noticia avisar a policia.

Parlamentares acreanos não assinam a PEC dos Jornalistas

Recebi a lista dos deputados que assinaram a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos Jornalistas, protocolada no início do mês, no Congresso Nacional. A medida é do deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) e busca restabelecer a necessidade do curso superior em jornalismo para o exercício da profissão. Para minha surpresa só dois deputados acreanos assinaram o documento. Dos oito parlamentares do Estado, apenas os deputados Fernando Melo (PT) e Ilderlei Cordeiro (PPS) são a favor da proposta.

A PEC recebeu 197 assinaturas de vários parlamentares do Brasil, e apenas duas de deputados acreanos. Os seis deputados que não assinaram o documento preferem ficar com o voto do relator do processo a favor da extinção do diploma para o exercício da profissão de jornalista, o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.

Nós últimos seis anos, aqui no Acre, muitos jornalistas que só tinham formação empírica voltaram para o banco de uma faculdade para aliar o conhecimento à prática. Muitos hoje são professores de comunicação social na Universidade Federal do Acre (UFAC) e no Instituto de Ensino Superior do Acre (IESACRE). O que nós vemos hoje é uma mudança no jornalismo acreano, não de pessoas, mas de idéias e atitudes.

Respeitem os jornalistas que foram atrás do sonho, de uma formação superior como: Raimundo Fernandes, Manoel Façanha, Antonio Muniz, Marcio Nunes, Paulo Henrique, Aires Rocha, Mirian Moura, Lamlid Nobre, Demóstenes Nascimento, Eliane Sinhasique, Rutemberg Crispim, Renata Brasileiro, Sidney Torres, J. Guimarães, Gesse Moreno, Andrea Zílio, Alberto Casas, Adailson Oliveira, Mara Rocha, Ezi Melo, Kátia Oliveira, Beth Passos e Lenilda Cavalcante. Todos esses jornalistas que citei, a grande maioria tem mais de 15 anos de profissão, nem por isso se acomodaram, buscando a formação em jornalismo. Sei que todos se sentem muito orgulhosos de ser jornalistas.

A atitude de não calar diante da decisão do Supremo Tribunal Federal que acabou com a exigência da formação em curso superior de jornalismo para o exercício da profissão tem mobilizado a sociedade brasileira a um debate sobre os perigos que representa a falta de critérios para o cumprimento desta atividade profissional. O quarto poder, como é conhecido o jornalismo, influencia na tomada de decisões da população e não deve ser praticado por pessoas sem noções de teoria da comunicação, ética, sociologia; indispensáveis para uma formação crítica do jornalista.

Senhores deputados, todas as suas ações são levadas ao conhecimento da população com um texto redigido por um jornalista, já dizia o velho guerreiro “quem não se comunica se trombica”. Por isso, senhores deputados, faço um apelo a todos vocês: façam parte dos esforços para a criação da Frente Parlamentar em Defesa do Curso Superior para o exercício da profissão de jornalista, a Frente do Diploma.

Marcos Vicentti

segunda-feira, agosto 03, 2009

O pensador

O repórter fotográfico Gleyciano Rodrigues, responsável pelas fotos do jornal 0n-line Ecos da noticia, é uma pessoa muito dinâmica, ele quando não esta tirando fotos fica na frente do SAMU esperando alguma ocorrência para sair em disparada atrás da ambulância. É nesse momento que Gleyciano fica pensado na vida, pensamentos diversos, só Deus sabe o que ele pensa nessas horas. Mas com as novas tecnologias, o imprensa em foco descobriu o que o jornalista pensa nestas horas de pensamentos ocultos. É impressionante a descoberta


Em uma foto é mostrada como Glayciano pensando sozinho se parece com outros pensadores do mundo




Com os recursos tecnológicos foi possível abrir a pequena cabeça de Gleyciano para tentar entender um pouco o que ele pensa





Foi ai que se pode observar o que ele pensa. De um lado da pequena cabecinha do moço foi encontrado pensamentos de muito trabalho e do outro lado muita diversão






Mas na hora em que foi feito uma ressonância magnética super aprofundada pelos computadores do imprensa em foco, mostrando no mais profundo pensamento do jornalista, foi descoberto seus verdadeiros pensamentos. Vejam o que se passa no cérebro do repórter fotográfico nas horas vagas..